Ir para o conteúdo principal

Peixes e o cérebro

Fish and brain (child feeding father fish)
Fotógrafo: NordicPhotos

O peixe ajuda a conectar melhor as suas células cerebrais, tornando você uma pessoa mais esperta e saudável.

Estudos mostram que as pessoas que ingerem grandes quantidades de frutos do mar têm menos depressão (uma das maiores causas de doença ou incapacidade no trabalho na Noruega). Outros estudos evidenciam que um teor de dieta rico em ácidos graxos ômega 3 têm um bom efeito sobre as dificuldades de aprendizado de jovens. A razão para tal é que grande parte do cérebro consiste em gordura, encontrada em abundância nos ácidos graxos ômega 3 DHA e EPA. 

  • Ácidos graxos ômega 3 marinhos permitem que as células do cérebro se conectem mais facilmente entre si. Como todos os processos em seu cérebro são impulsos elétricos, o número de pontos de contato terá influência sobre a mente.
  • Suas células do cérebro estão expostas a menos processos prejudiciais porque os antioxidantes em frutos do mar garantem que a gordura do cérebro não oxida ou se torne rançosa (diminuindo os pontos de contato efetivos de seu cérebro).

Fontes: Richardson and Montgomery: “The Oxford-Durham Study: A Randomized, Controlled Trial and Dietary Supplementation With Fatty Acids in Children With Development Coordination Disorder”. Hibbeln: “Seafood consumption, the DHA content of mothers’ milk and prevalence rates of postpartum depression: a cross-national ecological analysis”. Åberg et al: “Fish intake of Swedish male adolescents is a predictor of cognitive performance”. Hibbeln et al: “Maternal frutos do mar consumption in pregnancy and neurodevelopmental outcomes in childhood (ALSPAC study): an observational cohort study”. Norwegian National Council for Nutrition report: ”Dietary guidelines to promote public health and prevent chronic illnesses in Norway – Methodology and scientific knowledge basis”, chapter 25: ”Diet and prevention of neurodegenerative illnesses and mental health”.